Sexualidade

A Associação Portuguesa Voz do Autista tem trabalhado a importância da investigação e conhecimento sobre a sexualidade e relacionamentos nas pessoas autistas. Apesar de cada vez mais estudos e relatos na primeira pessoa indicarem uma vida sexual potencialmente ativa e uma vontade de se envolver em relacionamentos, semelhante ao que se verifica nas pessoas não autistas, são ainda escassos os estudos sobre as experiências e necessidades específicas das pessoas autistas em relação a esta temática, que, no contexto português, é ainda mais insuficiente. É importante conhecer e compreender as necessidades relacionadas com a sexualidade e relacionamento, na sua própria voz, de modo a garantir que as pessoas autistas possam ter uma vida sexual e emocional plena. Também é importante prevenir e apoiar contra a violência, tendo em conta as necessidades específicas mencionadas, bem como desenvolver apoios e serviços que tenham em conta as barreiras, necessidades e prioridades das pessoas autistas.

Vídeo explicativo sobre sexualidade e as pessoas autistas

No âmbito da semana de luta contra a pobreza e a exclusão social, e numa iniciativa conjunta, a Associação para o Planeamento da Família, a Associação Portuguesa Voz do Autista e a Rede Europeia Anti-Pobreza desenvolveram um vídeo que levanta o véu sobre algumas das especificidades que a sexualidade nas pessoas autistas apresenta. A sexualidade é uma dimensão central na vida de todos nós: é urgente conhecer mais e compreender melhor, garantindo experiências saudáveis e positivas a todas as pessoas.

Experiências de sexualidade e relacionamentos em mulheres e pessoas não binárias autistas

Experiências de sexualidade e relacionamentos em mulheres e pessoas não-binárias autistas.

Um questionário foi desenvolvido por ativistas e investigadores autistas e disponibilizado online a mulheres e pessoas não binárias autistas, com perguntas quantitativas e qualitativas, para explorar as suas experiências de sexualidade, educação sexual, questões sensoriais e violência sexual. As perguntas e o questionário basearam-se no modelo de direitos humanos da deficiência, de modo que os resultados podem ser mapeados e direcionados para recomendações de política sociais e autoadvocacia, e para o desenvolvimento de projetos que respondam aos problemas e necessidades encontrados.
Objetivos:
Compreender as experiências com de mulheres e pessoas não-binárias autistas com:
- Educação sexual;
- Sexualidade e relacionamentos;
- Violência em relacionamentos.

Direitos reprodutivos - a esterilização forçada em Portugal

A APVA tem desenvolvido campanhas informativas para a criminalização da esterilização forçada em Portugal. Para ver mais informação sobre este tema, consulte a página clicando no botão abaixo.

Skip to content